A elegância do “Que se f*da!”

Longe de polémicas, porque sei que as há. Longe de querer ser arrogante ou desrespeitador com quem lê este texto. Longe de ofender a língua portuguesa com vernaculidades. Mas, principalmente, longe de ser politicamente correto. Antigamente, tocavam-se nas campainhas dos vizinhos e fugia-se. Ríamos. Atiravam-se balões de água uns contra os outros. Gargalhávamos. Brincava-se às… Read More A elegância do “Que se f*da!”